Evento em BH discute acessibilidade e segurança em espaços culturais

Victor Mendonça entrevista Clarice Fonseca

Victor: Hoje é um programa muito especial. Estou aqui com Clarice Fonseca, minha “boadrasta” inclusive. Ela é produtora cultural e coordenadora de programação do “Latus”, seminário que acontecerá dos dias 2 a 4 de outubro, em Belo Horizonte. Tudo muito bom, Cultura é tudo de bom… Mas e quando a pessoa com deficiência, ou idosa, ou uma pessoa que precisa de algum suporte, quer participar de um evento como esse? Como ela faz? E foi com essa visão que a Clarice trouxe o “Latus Acessibility”. Como surgiu a ideia do workshop?

Clarice: O “Latus” é um projeto idealizado pela Flávia Ivar, Juliana Ivar e por mim. Nós formamos a equipe do Latus. A ideia é trazer a questão da acessibilidade para o universo da cultura. A gente começa agora no ano de 2019, com esse seminário, mas a proposta é muito mais ampla, temos a intenção de levar o Latus não só para outras cidades de Minas, como também Brasil afora.
Trabalhamos todas as questões que permeiam o universo da cultura e da acessibilidade, porque cultura é para todos e precisamos prover acesso e produtos para as pessoas com deficiência. Pois não adianta termos um espaço lindo e maravilhoso, plenamente acessível, e não termos produtos acessíveis para colocar dentro desse espaço.

Precisamos promover mais as peças de teatro em Libras, o áudio-livro, exposições táteis, todo tipo de produto cultural que possa ser apreciado pelas pessoas com deficiência também. Temos que pensar que não precisamos de grandes adaptações para isso, e há todo um processo de informação; precisamos levar a informação para os artistas e para os produtores, para que eles entendam o que é acessibilidade e possam desenvolver produtos para todos. Nem sempre precisaremos de grandes modificações para tornar aquele produto acessível. É muito mais fácil do que as pessoas pensam.

Victor: Isso mesmo.

Clarice: E sair daquele erro comum de que acessibilidade é só ter uma porta que permita a passagem do cadeirante e o banheiro adaptado. O tema Acessibilidade é muito mais amplo.

Victor: É atitudinal, inclusive. Sair desse senso comum é muito importante e bem falado pela Clarice. Eu, particularmente, já fiquei muito empolgado. Quem estará no evento e qual será a programação?

Clarice: O evento acontece de 2 a 4 de outubro, na escola da AGU em Belo Horizonte, na Rua Santa Catarina, 480, Lourdes. Teremos o prazer de receber Marcelo Xavier, escritor e artista plástico de Belo Horizonte.

Victor: Renomadíssimo!

Clarice: Uma das mais queridas pessoas da cena cultural belo-horizontina. Tem também Ivana Andrés, Luciano Luppi, Evaldo Nogueira, que irão, além de palestrar, fazer uma apresentação musical também, uma performance lindíssima; é um trabalho maravilhoso que eles vêm desenvolvendo. Para quem não sabe, o Evaldo Nogueira é músico e compositor cego de Belo Horizonte, talentosíssimo, premiado também, já faz várias trilhas para teatro, enfim, é um grande artista. O Cássio Pinheiro, diretor teatral, tem um espetáculo belíssimo que esteve em cartaz no ano passado e início desse ano, um concerto para bebês, que é plenamente acessível e que vocês chegaram a divulgar aqui no canal. É uma experiência emocionante para as crianças.

Victor: Nossa, amei!

Clarice: A Sônia Pessoa.

Victor: Sou fã.

Clarice: É, quem não é? Ela é jornalista, talentosíssima também, uma pessoa que se dedica à questão da acessibilidade há muitos anos aqui na cidade… Victor Mendonça!

Victor: Não podia faltar, né?

Clarice: E o Roberto Mendonça, né Victor? Aí eu tenho que fazer um pequeno momento “corujisse” da Mulher… De nós dois, porque o Roberto é o pai do Victor. Jornalista, Escritor, editor de todos os livros do Victor…

Victor: E os da minha mãe também.

Clarice: E da sua mãe também, e vários outros. E teremos você, Victor, no workshop, o que é muito importante para todos nós. E também o professor Marcelo Guimarães, da Escola de Arquitetura da UFMG, um especialista, muito respeitado, também um dos palestrantes. Temos uma programação boa, né?

Victor: Isso mesmo, eu estou empolgado! E, Clarice, pensando nessa programação, o evento vai tratar sobre temas do poder público e como pode agir em relação a isso?

Clarice: Sim, vai tratar de temas de poder público, de diversos aspectos relacionados às leis também, as obrigações do poder público para prover acesso para todos e de produtos. Trataremos das questões da arquitetura dos espaços, se os teatros da cidade são acessíveis, bem planejados, atendem a todos, e o principal: pensar que os artistas também têm deficiências e limitações; os espaços precisam estar adaptados não só para o público, mas também para o artista.

Victor: Isso é muito importante.

Clarice: Temos que pensar em palco, e toda estrutura que envolva a produção de um espetáculo, por exemplo. Trataremos, além disso, de questões mais leves. Tem que ter música.Victor: Vai ter o lúdico da arte, pois a arte é maravilhosa. Acho que eu sou suspeito para falar, mas você também…

Clarice: Somos suspeitos. Vai ter a parte divertida também, aonde mostramos ao público que é possível ter produtos acessíveis e mais fáceis de serem adaptados.

Victor: Não é porque o produto é acessível que ele tem que ser chato. Pelo contrário, aí é que vai ser divertido mesmo.

Clarice: Exatamente. Ah! O seminário terá também o Matheus Sant’Ana, ator, intérprete de Libras e professor de teatro. Ele trabalhou muito tempo no Instituto São Rafael, aonde ele fez um trabalho lindo com os alunos daquela instituição especializada na educação de cegos, com aulas de teatro e expressão corporal.

Victor: A gente fica pensando, um evento de primeiro quilate desses, e é gratuito, gente!

Clarice: 100%. O evento é gratuito, mas pedimos que as pessoas se inscrevam porque tem a alimentação, a capacidade do espaço, e como vamos fazer na escola da AGU, precisamos ter uma lista de presença e de acesso. As inscrições podem ser feitas através do site latusacessibility.com ou pelo telefone (31) 99939-3860.

Victor: Não dá para perder!

Clarice: Imperdível. Aguardo todo mundo de 2 a 4 de outubro. E outra coisa, é importante dizer também que vamos distribuir certificados de participação para aquelas pessoas que estão estudando, eu acho que é interessante.

Victor: Isso mesmo. Até lá!