Exercícios físicos e saúde mental em tempos de quarentena

Camila Marques

Com a prorrogação da quarentena, muitos estão preocupados com a saúde mental e física. A atividade física pode fazer o momento ser menos difícil de ser atravessado.

O Governo de Minas, no último dia 14, declarou que a quarentena deverá ser estendida até o mês de julho. O Prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, decretou na última sexta- feira (10), que as pessoas só poderão frequentar os espaços públicos com máscaras, além de adotar outras medidas que visam dar rigor ao isolamento social, a partir de hoje, dia 17. Até o momento, o governo estadual estuda a possibilidade da adoção de aulas por meio de vídeo.  Logo, teremos por mais tempo crianças em casa.

No aguardo por dias melhores, ficamos mais ansiosos e preocupados. E, ainda que de forma não intencional, passamos esse estado para nossos pequenos. Com o estoque de criatividade na invenção de atividades para eles acabando, porque não adotar um novo hábito para nós mesmos e para eles através da prática de exercícios físicos?

O Mundo Autista conversou com o professor de Educação Física Danilo César*. Com oito anos de atuação, além de professor, Danilo possui aperfeiçoamento e especialização em Esportes e Atividades Físicas Inclusivas para Pessoas com Deficiência, pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e é técnico de equipe de bocha paraolímpica da cidade de Betim, dentre outras atuações.

Para Danilo, ainda que a pessoa não tenha experiência na prática de exercícios, é importante reconhecer que existem exercícios com quatro tipos de predominância: cardiorrespiratório (caminhada, corrida e bicicleta), resistidos (com pesos), de flexibilidade (alongamento) e neuromotores; que se trata do treinamento funcional com movimentos naturais para os quais o corpo foi planejado, como agachar, girar e empurrar. “Para quem não tem experiência com exercícios, a sugestão é começar por exercícios leves e ir aumentando progressivamente de acordo com o desempenho e a capacidade dos praticantes, conforme estiverem evoluindo. Porém, a avaliação e análise para uma possível evolução deve ser realizada por um profissional”, recomenda.

Sobre os benefícios gerados a partir da prática de exercícios, além da melhora do condicionamento físico e peso, o professor cita o aumento da autoestima, sensação de bem estar, diminuição do nível de ansiedade e depressão e melhora na qualidade do sono. Para o cenário atual, o professor destaca: “neste momento específico em que estamos vivendo, gostaria de destacar a melhora do sistema imunológico, o que permite aos praticantes ficarem menos suscetíveis a diversas doenças. Ressalto que estes benefícios estão diretamente atrelados ao exercício físico realizado de maneira bem orientada, no caso, por um profissional”.

Neste período de quarentena, o profissional sugere atividades de baixa intensidade, como caminhada (no quintal), alongamento e dança para aqueles que estão iniciando a prática. Sobre a prática de exercícios sem orientação, uma vez que as academias estão fechadas e os personal trainers não estão trabalhando ao ar livre, ele pondera:

“Busque sempre a orientação de um profissional capacitado para tal orientação, principalmente quem está iniciando, pois os riscos de exercícios sem orientação podem ser tão prejudiciais quanto é a automedicação, e colocam em xeque todos os benefícios supracitados. Uma dica é para tomarem cuidado com alguns vídeos e dicas que estão sendo apresentadas, pois muitas não são para qualquer pessoa, muito menos para quem está se iniciando. Lembrem-se de que, neste momento o menos é mais. Não hesitem em solicitar um atendimento personalizado. Nós, profissionais de Educação Física, estamos muito sensíveis à necessidade da população e prezamos pela saúde de todos. Portanto, entre em contato com um profissional e priorize sua integridade física. Os profissionais estão criando estratégias capazes de permitir o acesso a todos os serviços com qualidade”.

*Professor Danilo Cesar Trindade Pereira

Profissional de Educação Física – Licenciatura e Bacharelado. Universidade Salgado de Oliveira (UNIVERSO).

Aperfeiçoamento e Especialização em Esportes e Atividades Físicas Inclusivas para Pessoas com Deficiência. (UFJF)

Professor de Educação Física no Centro de Referência e Apoio à Educação Inclusiva – “Rafael Veneroso” (Craei-RV) de Betim – MG

Técnico de Bocha Paraolímpica da equipe de Betim

Contatos: (31) 98872-9239

Instagram – @prof_dancesar

CREF: 021025-G/MG