Mãe e filho autistas juntos em nova publicação

Victor Mendonça e Selma Sueli Silva marcam os dez anos de vivências com o diagnóstico

Selma Sueli e o filho Victor são jornalistas parceiros no projeto “Mundo Asperger”, com milhares de seguidores no site, blog e na webTV. Tudo começou há dez anos, quando Victor Mendonça, 21, recebeu o diagnóstico de autismo leve ou, como era chamado à época, Síndrome de Asperger.  Em 2016, foi a vez de Selma ser diagnosticada como asperger (uma forma mais branda do autismo), aos 53 anos.

Algum tempo e muito estudo depois, eles têm trazido informações à sociedade, para que “nenhuma outra família se sinta sozinha, como nos sentimos um dia”. São mais de 140 vídeos, que somam quase um milhão de visualizações, 40 palestras, além do blog para uma reeducação das pessoas voltadas à construção de uma sociedade inclusiva e mais humanizada. O livro “Dez Anos Depois” celebra o trabalho e a evolução dessa trajetória; mais que uma coletânea, é uma prova impressa da vivência de grandes desafios a partir da comunicação social – a maior dificuldade de um autista.

Victor apresenta, neste livro feito a quatro mãos, desenhos próprios, produzidos na arteterapia e que denotam sua visão peculiar sobre as pessoas e os objetos. No livro, ele registra: “A arte é maneira de transformar sofrimento em linguagem e, por isso, é por vezes incômoda. Sou um estudioso das formas artísticas porque, acima de tudo, sou um estudioso da comunicação. Somos todos seres de interpretação, ou seja, por mais que uma obra artística esteja registrada de maneira imutável, as nossas percepções sobre ela são mutáveis. A arte oferece todas as respostas, mas não as entrega de mão beijada. O que é absolutamente maravilhoso”.

Victor Mendonça é autor de “Outro Olhar – Reflexões de um Autista” (ensaios, Manduruvá, 2015) e “Danielle, Asperger” (romance, Manduruvá, 2016). Ele tem realizado palestras sobre suas vivências com o autismo, seus desafios e vitórias na inclusão escolar e sobre o que foi determinante para sua entrada na faculdade. Suas experiências têm ajudado mães nos quatro cantos do país.

“O Mundo Asperger de Selma e Victor é ferramenta preciosa para a compreensão de como agir e interagir com pessoas que têm esta síndrome” (Rose Clair da Silva, educadora de Anitápolis-SC); “O ‘Mundo Asperger’ é uma página mágica, que presta um serviço extremamente útil à sociedade. Sou altamente grata” (Hendy Anna Oliveira, de Vila Velha-ES); “Um trabalho encorajador, humano, real e, principalmente, útil que Selma Sueli Silva e Victor Mendonça levam às pessoas” (Lívia Chaves, de Juiz de Fora-MG); “O Mundo Asperger traz uma mensagem de muito otimismo e amor, além de bastante esclarecedora. Super indico a todas as pessoas, pois é enriquecedor. Parabéns a esta dupla fantástica, sempre disposta a nos trazer conhecimento” (Rosely Machado Cassiano, de Belo Horizonte-MG).

Como resultado de todo esse esforço para levar mais informação à sociedade e, consequentemente, diminuir o preconceito, o jovem escritor, palestrante e youtuber Victor Mendonça tornou-se, em 2016, o mais jovem condecorado com o Grande Colar do Mérito Legislativo, a maior honraria concedida pela Câmara Municipal de Belo Horizonte.

Selma Sueli Silva é jornalista e radialista há trinta anos, dentre os quais quinze como produtora e debatedora do programa “Rádio Vivo”, na Itatiaia, e comandou a assessoria de imprensa do INSS por uma década. Em 2017, ela publicou a autobiografia “Minha Vida de trás para Frente” (Manduruvá), para processar o efeito da descoberta do autismo em sua vida. Desde então, atua ao lado do filho, e já levou outros adultos à descoberta de seu próprio diagnóstico, além de conseguir expressar para os profissionais da área como funciona este “fascinante mundo do autismo”. Para a autista Mirtes Oliveira, de João Pessoa (PB), ler o livro de Selma foi uma maneira de se sentir-se menos sozinha. O livro também tem levado à identificação de muitos adultos com as características do autismo, como é o caso de Daniela Demétrio Cotta, de Niterói (RJ), que afirma ter passado por situações parecidas com as narradas por Selma em “Minha Vida de Trás Pra Frente”. “Li ‘Minha Vida de Trás pra Frente e me enxerguei muito na história de Selma. Dei boas gargalhadas, me comovi, chorei… O livro foi um divisor de águas para mim. Um verdadeiro exercício de autoconhecimento. Desde que se levantou a hipótese diagnóstica de TEA para o meu filho caçula, comecei a me inteirar a respeito e desconfiar que meus dois filhos mais velhos e eu também tínhamos um ‘pezinho’ lá… Quanto a mim, após o livro, tive certeza!” – Daniela Demétrio Cotta, de Niterói (RJ).

“Dez Anos Depois” é um livro rico em vivências, de acordo com a máxima “Tudo bem ser diferente” (nome do blog da jornalista Sônia Pessoa) que é, hoje, uma das marcas, também, do Mundo Asperger.

O livro trata de assunto tão profundo quanto denso, na visão de mãe e filho, de forma leve e lúdica. A dupla comprovou na própria vida a frase de Jean Cocteau: “Não sabia que era impossível, foi lá e fez”. Tudo isso transforma este e os livros anteriores em objetos de estudo para todos os leitores, inclusive para profissionais especialistas em autismo.