O que o Big Brother Brasil 20 nos ensinou?

Selma Sueli Silva e Camila Marques

Selma e Camila falam sobre a vitória da médica Thelma no BBB 20 e o que isso representa para a sociedade.

Selma Sueli Silva:  Camila, me ocorreu que, à época do Big Brother Brasil, que terminou já no período da quarentena, a gente nem comentou, mas eu fiquei refletindo sobre a vitória da Thelma. Eu não acompanhei o BBB dessa vez, mas me chamou a atenção a reação de várias pessoas nas redes sociais. Eu vi a empolgação da Preta Gil e reação da Regina Casé quando a Thelma, uma médica negra, ganhou o prêmio. Pode parecer loucura que em pleno terceiro milênio, isso ainda seja corriqueiro. Mas é e isso é um fato. Foi uma representatividade bem bacana a Thelma ter ganhado o BBB 20 e me aflorou uma curiosidade. O que que você achou disso tudo?

Camila Marques:  Eu fiquei muito feliz com a vitória da Thelma, até em resposta ao BBB 19, em que a participante que ganhou fez vários comentários racistas ao longo do programa. E não dá para ignorar que o Big Brother é um programa que mexe muito com as pessoas que se manifestam nas redes sociais. Sobre a minha trajetória como telespectadora aconteceu assim: eu comecei a ver, mas depois que eu observei algumas coisas, principalmente relacionadas ao participante Babu, que é um ator famoso (ele fez o Tim Maia), eu considerei injusto, pesado, para o próprio Babu mas, principalmente para a gente. O racismo é uma questão muito nociva até para a gente ver, sem estar diretamente envolvido com a situação. Embora existam pessoas que relativizem esse preconceito, é muito dolorido ver.

Então, durante algum tempo, eu acabei abandonando o programa. Mas aí, a participante Thelma, eu já tinha simpatizado com ela desde o começo, ela ficou em evidência e eu fiquei feliz. Meus irmãos falam, inclusive, que eu pareço com ela. E ela teve uma ascensão no programa.

Em um dos episódios, aconteceu uma discussão sobre o feijão, com o participante Lucas, um participante branco, hétero, daqueles héteros “topzera”. A Thelma não teve medo e ela o peitou.  Ele falou algo assim, que ele tinha “berço” e ela não, algo muito pesado. Mas ela não se intimidou. E por isso, ela teve vários momentos de ascensão no programa: não teve medo, se posicionou, mesmo que, alguns aqui fora, a tratassem como “planta”, mas ela não teve medo.

E, na reta final, houve a adesão de famosos na torcida para a vitória de Thelma, como Taís Araújo, a Preta Gil, várias pessoas da internet, como a Gabi de Pretas, Gabi Oliveira, que para nós, público feminino negro, é uma YouTuber muito conhecida. A vitória dela, então, representou um tapa na cara do BBB 19 e do racismo e preconceito em torno da mulher. Com essa questão do feminismo, alguns segmentos até classificaram essa edição do BBB 20 como “a edição do feminismo”.  E eu considero o Big Brother é um retrato do que as pessoas pensam, de uma maneira geral.

Selma Sueli Silva:  Bacana demais. E ainda bem que, um dia, a gente nem vai precisar mais discutir essas questões. Afinal, o racismo e o preconceito não fazem o menor sentido. Enquanto isso, vamos comemorar o processo e torcer por mais mais “Thelmas”, que se coloquem, como seres humanos de qualidade que são.