Tu estavas lá, Courtney Love

Victor Mendonça

Tu estavas lá, Courtney Love. Na assembleia de discípulos do sagrado Pico da Águia. Tu estavas lá, quando o Buda Shakyamuni chamou-te e a todos os outros que lá estávamos. Juraste a tua felicidade e a de toda a humanidade. Juraste propagar a Lei Mística a todos e que tua vida seria prova real do poder ilimitado dessa Lei.

Tu renasceste, então. Numa Era de desespero. Durante os Últimos Dias da Lei. Uma Era que, imagino, tenha te feito questionar por tantas e tantas vezes se tu estavas lá, no Pico da Águia. Mas estavas. Teu juramento ainda estava valendo. Tu percebeste que entre nascimento e morte havia um mar de sofrimentos, mas que havia um barco para atravessá-lo. Chamaste esse barco de “Mystic Law” (Lei Mística ou “nam myoho renge kyo”).


Tua vida nunca foi fácil. Eras uma criança pequena, mas teu pai já te dava ácido. Tu tinhas um sofrimento inexplicável. Ainda na infância, veio o diagnóstico de autismo. Tua mãe não aguentava tuas crises. Deixou-te com amigos da família, com pessoas que te abusaram. Tu passaste por reformatórios, usaste drogas, ficaste revoltada com a vida.


Courtney, tu já estavas quase desistindo quando conheceste a Lei, enquanto trabalhavas como stripper, no Alaska. Tu creditas ao “nam myoho renge kyo” a criação e ascensão da tua banda Hole. O sucesso bateu na tua porta. Quando tu te apaixonaste e te casaste com o Kurt, parecia um conto de fadas do rock. O líder de uma das bandas de rock de maior sucesso. Tu quase deves ter te esquecido de que ainda estamos nos Últimas Dias da Lei.


Tu foste muito atacada, Courtney. Por teu comportamento, por ser uma mulher que desafiava a noção de como uma mulher deve agir. Os palavrões e as drogas faziam o mesmo mal físico aos teus colegas homens, mas aos olhos do público eram diferentes. Então, Kurt morreu e te deixou com uma filha pequena para cuidar. Sofreste muito com o suicídio do teu grande amor.


Tu és talentosa, Courtney. Faz teu mantra, compõe novas musicas, transforma-te em atriz. Foi o que tu fizeste. Profissionalmente, tu te tornaste mais bem-sucedida ainda. A Revolução Humana estava caminhando, mas ainda havia obstáculos e maldades. O vício é realmente algo terrível. 


Quanto maior o obstáculo, mais significativa é a vitória, não é mesmo, Courtney? Aos 50 anos, novos projetos nas áreas de música, moda e atuação surgem. Tua carreira se expande novamente. Olha para o espelho, minha amiga, me fala o que vê. A mesma mulher de antes, com as mesmas características diferenciadas, apresenta uma nova sabedoria. É visível uma mudança interior muito forte. É a Revolução Humana.


Tu nasceste para vencer, resistir e inspirar, Courtney. Conseguir tudo isso em meio a problemas tão expressivos mostra que a vale a pena, para todo mundo, lutar para superar os obstáculos e maldades. Que os fatores externos não influenciam nessa batalha, para ninguém. Se fosse fácil, a vitória não teria o mesmo valor.


Então… tu estavas no Pico da Águia, Courtney. Tu estavas lá. E ao cumprir o teu 
juramento, ajudaste a inspirar aquele que dedica esta crônica a ti. Obrigado!