Victor Mendonça lança livro infantojuvenil “Entre Fadas e Bruxos”

Selma Sueli Silva entrevista Victor Mendonça sobre seu novo livro, “Entre Fadas e Bruxos”.

Eis um trecho do livro: “É que apesar do nome, Cruello era incapaz de prejudicar qualquer pessoa; o mal que fazia, era a si mesmo. Ouvir tantas calúnias contra a mãe o fez beber a poção envenenada com objetivo de dormir para sempre. No entanto, Annabeth, que amava o filho profundamente, usou a mais eficaz das mágicas: ela transformou o veneno em remédio, e assim, Cruello conseguiu seguir em frente. Mas, pobre Annabeth, ela já havia internalizado que era uma bruxa. Embora gostasse de usar a magia das fadas, e de ser reconhecida como uma fada”.

Selma: Oi, gente, aqui não é mãe falando. Aqui é a repórter Selma Sueli Silva. Victor, eu estou com seu livro nas mãos e encantada, primeiro com o projeto gráfico. Achei a capa muito bacana. Qual é a sua editora, Victor?

Victor: RM editor.

Selma: Muito bom! Parabéns para RM editor, pois ficou muito legal. E essa ilustração da capa…

Victor: … É do Cesar Froés, que é um amigo meu, grande ilustrador, e ele fez essa ilustração que eu achei que casou perfeitamente com o tema do livro.

Selma: Mas o autor, eu sei, também é um ilustrador, e você contou a sua história com suas ilustrações. Olha que bacana!

Victor: Isso mesmo. Fiz desenhos sugestivos, abstratos…

Selma: Qual é o tema do livro?

Victor: “Entre Fadas e Bruxos” é a história de um reino onde há muitos conflitos. É o primeiro livro que não tem ligação direta com o autismo, mas trata sim da questão da identidade, da diversidade. É um livro que fala sobre uma grande divisão entre fadas e bruxos. Daí o título. Nesse reino marcado por conflitos e diferenças, para ter a paz eles fizeram uma aliança entre o grande rei bruxo e a rainha das fadas. Mas, as fadas só dão à luz; só têm, como filhos, outras fadas. E o filho da rainha das fadas é um bruxo. Então ele sempre fica se perguntando se não seria uma fada na verdade. Só que a mudança de referência é muito mais profunda… Seria a líder das fadas, uma bruxa?

Selma: Então, os bruxos não acreditavam na pureza das fadas, parecia algo bom demais para ser verdade, com certeza havia algo errado. Você pode descobrir o que era… E se era errado ou não.
Victor: Foi bom você ter tocado nesse assunto, “o que é certo e o que é errado”, porque, apesar de os personagens não serem humanos, bruxos ou fadas, eu os tratei com toda complexidade, a humanidade que existe nas pessoas. E é meu primeiro livro para crianças e jovens também, crianças e adolescentes, uma literatura infanto-juvenil. Eu o coloquei assim porque acredito que as crianças têm muito senso crítico. Elas têm uma capacidade de percepção que coloca a gente, adulta, no bolso.

Selma: Eu que o diga. Mas de onde surgiu essa ideia? Foi assim, do dia para a noite?
Victor: Eu venho trabalhando no livro há mais tempo. Apesar de ser meu livro mais fino, foi também o que eu demorei mais para escrever. Foi algum tempo de escrita e de desenvolvimento. Na realidade, eu escrevi um conto no livro “Dez anos depois” e o transformei neste novo livro, mas a possibilidade de fazer veio da faculdade. Eu sou extremamente grato à professora Tatiana Papa, do UniBH, professora de “Arte, Corpo e Movimento”, o texto original foi um trabalho para essa disciplina. Ela propôs que eu fizesse em um dos trabalhos o rascunho de um livro. Daí eu me empolguei e resolvi fazer um livro de verdade.

Selma: Para quem quiser adquirir o livro: Já está à venda? Quanto custa? Como fazer para comprar o livro?

Victor: O livro custa R$ 25, mais o frete, e está a venda no nosso site mundoasperger.com.br, pelo link do Pagseguro: https://pag.ae/7U_BwnVKq.